Conversa de Costura

O quarto das costuras

8 Janeiro, 2018

Quando comecei a costurar, não tinha nenhum lugar definido na minha casa para ser o quarto das costuras. Não havia um lugar próprio para guardar tecidos, moldes, linhas, máquinas, etc. Guardava os tecidos num quarto que servia de escritório e quando queria costurar ocupava a mesa de jantar da sala com as coisas todas necessárias para costurar, só quem costura sabe a bagunça que se faz e a desarrumação que fica. A verdade é que só sonhava com um lugar onde pudesse ter as minhas coisas todas e onde pudesse criar à vontade, sem ter de me preocupar como o espaço fica desarrumado e com tecidos por todo o lado.

Depois que mudei de casa, no ano passado, finalmente consegui ter um quarto para as minhas costuras, um sítio só para mim, onde tinha as minhas coisas todas, tinha uma mesa só para cortar o tecido, outra mesa para as máquinas e a tábua de passar a ferro já não ficava a estorvar no meio da sala de jantar.

No outro dia, referi no facebook que estava um pouco desaparecida (desde já as minhas desculpas) pois estou a fazer uma mudança de casa, outra vez. Quem me conhece, sabe que gosto de mudar de casa, já mudei umas 5 vezes (se calhar já parava, não?) e agora estou no meio de outra mudança. Como mencionei, 2018 vai ser uma ano de coisas diferentes e começa mesmo bem, com esta mudança de casa. Tudo isto para dizer que vou deixar de ter o meu quarto de costuras onde passei tanto tempo em 2017, mas acreditem que vai valer bem a pena.

Antes de arrumar tudo e empacotar a tralha toda, não queria perder a oportunidade de vos mostrar este espaço tão querido. Não posso dar dicas de arrumação pois devo ser das pessoas mais práticas que conheço e com isso quero dizer que a minha arrumação resume-se a colocar as coisas pequenas todas em caixas e gavetas. Queria muito ser daquelas pessoas que tem os elásticos numa caixa, separados por largura e cor; as linhas noutra caixa, todas arrumadinhas; os tecidos todos dobrados e arrumados por tons e tipo de tecido. Já tentei mas não consigo, o meu lado prático fala mais alto.

Deixo-vos então algumas fotos do meu quarto de costuras:

Numa das paredes coloquei o manequim num sítio com muita claridade, para poder fotografar as peças prontas. Ao lado está a tábua de passar a ferro e poupa-me imenso tempo a tábua estar sempre aberta, pronta a usar cada vez que precisar. Perdia mesmo muito tempo quando precisava de abrir a tábua, ligar o ferro e passar e no fim ter de arrumar tudo para que a confusão não fosse maior. Assim é muito mais prático.

Mesmo ao lado da tábua, está a mesa de corte. Não é muito grande e é um pouco baixinha mas é melhor do que a mesa de jantar, não é? A desorganização que está por baixo são os tecidos, arrumados em sacos e caixas grandes de plástico.

Ora que costura, sabe que precisamos sempre de vários aviamentos: viés, elásticos, fitas várias. Também é certo e sabido que gosto muito de revistas de moldes e para guardar todas essas coisas, esta foi a melhor solução que arranjei: uma prateleira e muitas caixas/cestos com tudo e mais alguma coisa. (no cantinho desarrumado, estão as réguas de modelagem, tecido de cortiça, papel vegetal). Nas capas de plástico guardo os moldes que faço ou que tiro das revistas. É muito importante deixar claro que molde é aquele para que quando se for usar outra vez não surjam dúvidas.

 

Vamos agora à minha parte preferida deste quarto: a mesa com as minhas máquinas de costura. Gosto desta parte porque além de achar que está bonita, está muito funcional. Uma das gavetas é só para guardar os cones grandes das linhas e nas outras guardo as linhas mais pequenas, os calcadores, os alicates, etc. As tesouras e canetas decidi colocar em sítios separados para ser mais prático de usar.

Espero que tenham gostado deste meu cantinho das costuras onde criei tanta coisa boa. A partir de agora, só coisas melhores virão pela frente.

Desculpem se este blog estiver assim mais parado, mas enquanto não arrumar tudo fica difícil produzir conteúdo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.